Pastor Isidório se diz a favor do retorno das coligações partidárias

fonte Bahia.ba

Deputado baiano esteve ausente na votação da PEC, na última terça-feira (17)

Foto: reprodução

A Câmara dos Deputados aprovou, na última terça-feira (17), em segundo turno, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da Reforma Eleitoral, que prevê a volta das coligações partidárias para as eleições proporcionais a partir de 2022.

A PEC foi aprovada com 347 votos. Desses, 28 baianos votaram a favor, nove foram contra e dois se ausentaram da votação, entre eles o deputado Pastor Isidório (Avante) por motivos de saúde. No entanto, em contato com o bahia.ba, na manhã desta quarta-feira (24), Isidório afirmou ser a favor do retorno das coligações.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

“Eu entendo que a política tem que ser feita com o máximo de democracia. Quando você trava um partido, você prejudica ele. É como se determinasse matar o partido e os outros candidatos menores não têm a possibilidade de se eleger. Entretanto, com as coligações eu chego, o ‘candidatinho’ menor chega. Por exemplo, só por coligação eu consegui me eleger com 42 mil [votos], mas se não fosse pelas coligações e se outro candidato tivesse 17 mil votos ganharia a eleição. O deputado Roberto Carlos hoje é um homem de quase 90 mil votos, mas ele ganhou a primeira eleição com 11 mil votos, foi puxado por João Henrique. Então essa postura das coligações é importante para mulheres, homens, negros, e para os que têm mais dificuldades eleitorais ou de popularidade, onde dinheiro ganha eleição. Então coligação é de fato muito importante”, pontuou.

A PEC segue para ser votada no Senado Federal. O sistema, suspenso em 2017 pelo Congresso Nacional, permite alianças partidárias e, consequentemente, que os candidatos menos votados se elejam com os votos computados pelo grupo de legendas que integram a coligação.