Diante de aumento de preço de combustíveis, Câmara sugere redução de ICMS

Redação, com informações do Metro1

Lira propõe que lideranças partidárias considerem preço médio dos dois anos passados para cobrar tributo

Foto:Tony Winston/Agência Brasília

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), propôs uma diminuição do valor do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre os combustíveis, diante do aumento do preço do produto no Brasil. Ele sugere que os estados considerem o preço médio dos dois anos passados para cobrar o tributo.

Atualmente, o tributo é cobrado a partir do valor médio da gasolina, diesel e etanol dos últimos 15 dias. Aceita, a medida passaria a valer em 2022, utilizando como referência os anos 2020 e 2021. Com a medida, os estados perderiam receita.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

A tendência é que os governadores rejeitem a proposta, também por considerarem que aumento do preço dos combustíveis não é de responsabilidade das federações, e sim do país. Junto com 19 governadores, o dirigente da Bahia, Rui Costa (PT), assinou uma carta que contesta a versão de que os preços dos combustíveis estejam elevados em função do imposto.