Associações do agronegócio publicam nota em defesa da democracia criticando “aventuras radicais”

Setor publica manifesto mais enfático do que texto da Fiesp, que culminou em racha na Febraban

Foto: Pixabay/Ilustrativa

Após o impasse em relação à divulgação de manifesto do setor empresarial, capitaneado pela Fiesp, entidades do setor agroindustrial divulgaram nota mais enfática em defesa da democracia.

O manifesto gerou um racha na Febraban – com o anúncio da saída de Caixa e Banco do Brasil da associação.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

O texto do agronegócio cobra postura das lideranças brasileiras, que devem se mostrar “à altura do Brasil” e critica a “politização ou partidarização nociva”, que tem potencial para agravar os problemas enfrentados pelo país.

Assinam o texto entidades como a Associação Brasileira do Agronegócio (Abag), Associação Brasileira dos Produtores de Óleo de Palma (Abrapalma), Associação Brasileira dos Industriais de Óleos Vegetais (Abiove), Associação Brasileira das Indústrias de Tecnologia em Nutrição Vegetal (Abisolo), CropLife Brasil, Indústria Brasileira de Árvores (Ibá), Sindicato Nacional da Indústria de Produtos apra a Defesa Vegetal (Sindiveg).

Em comum, estas entidades congregam principalmente empresas da agroindústria com grande impacto exportador. Este tipo de empresa tende a sofrer mais com danos da imagem do país que os produtores rurais que atuam no mercado interno ou que vendem sua produção para a agroindústria.

(Metro1)