Novo Topo AD

Ministério vê ‘confusão’ em estudo brasileiro sobre ineficácia da hidroxicloroquina

Bahia.ba

Foto: ilustrativa / Pixabay

Secretário de ciência e tecnologia do Ministério da Saúde, Hélio Angotti Neto disse ver “fatores de confusão” no estudo da coalizão que reuniu alguns dos principais hospitais do país e apontou ineficácia do uso da hidroxicloroquina em pacientes com Covid-19.

Para ele, o trabalho usa conceitos diferentes dos usados pelo ministério e, por isso, não pode ser aplicado às orientações da pasta. “A pesquisa é interessante. Mas não dá pra pegar um artigo escrito sobre uma coisa e aplicar sobre outra coisa”, afirmou na sexta-feira (24), de acordo com o jornal Folha de S. Paulo.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Considerado o maior já feito no país sobre a droga, o estudo foi realizado com 665 pessoas em 55 hospitais brasileiros.

No pesquisa, os pacientes foram divididos, por sorteio, em três grupos: o primeiro (com 217 pacientes) recebeu hidroxicloroquina e azitromicina; o segundo (221) recebeu só a hidroxicloroquina, e no terceiro (227) os pacientes foram acompanhados apenas com suporte clínico, sem nenhuma das duas drogas.