Novo Topo AD

Vídeo: Paredões em Salvador afrontam isolamento social para conter Covid-19

fonte: BNews

Reprodução / Bnews

Com Salvador alcançando os níveis alarmantes de 38.273 positivados para coronavírus e 1277 óbitos, segundo as secretarias municipal e estadual, moradores de bairros como Nordeste de Amaralina, Campina de Pirajá e Boa vista de São Caetano descumpriram as principais recomendações das autoridades de saúde para tentar barrar a proliferação do Covid-19 e promoveram festas estilo paredões, no domingo (5).

Nas imagens enviadas ao BNews é possível ver aglomeração de centenas de pessoas, a grande maioria sem máscaras, e quem usa o EPI (Equipamento de Proteção Individual) utiliza de forma errada, no queixo. A música no som automotivo em alto volume incentiva a realização de coreografias entre os participantes.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Em um dos bairros, no Nordeste de Amaralina, um casal sobe em um muro de uma residência para dançar uma coreografia que remete a prática sexual.

Um dos moradores até tentou chamar a polícia e fiscalização, contudo não foram ao local. “Paredão ocorrendo na Rua 20 de agosto, no final da rua, na ligação Campinas de Pirajá, Suburbana. Pessoal da 9ª CIPM ou Rondesp, por gentileza, dá uma chegada no local, pois muitos elementos armados no local”, disse durante uma chamada de telefone.

Já na localidade do IAPI, uma das moradoras gravou um vídeo da cena de aglomeração na rua, postou nas redes sociais e comentou com indignação “Acredite que isso ai foi hoje, 05/07/2020 no bairro do Iapi. Ai vem minha pergunta: De que adianta sacrificar os comerciantes se dentro dos bairros está acontecendo esse tipo de situação. Toque de recolher em Salvador urgente prefeito e governador”, disse.

O vídeo viralizou e obteve milhares de curtidas e cometários e dividiu opiniões de pessoas que repudiam e que incentivam festas, promovendo aglomeração durante a pandemia de coronavírus. Uma seguidora comentou: ” Meu sonho”. Já outra seguidora desaprovou a comemoração que reuniu centenas de pessoas. “Assim essa situação nunca vai passar”, comentou.