Bolsonaro é o presidente que menos priorizou benefícios sociais desde a era Sarney

Bahia.ba

Foto: Marcos Corrêa/PR

Desde o governo de José Sarney, o presidente Jair Bolsonaro é o líder que menos priorizou benefícios sociais por decretos nos primeiros 18 meses de mandato.

Segundo levantamento feito pelo grupo PEX-Network, da Universidade de Minas Gerais, até a última sexta-feira (26) foram 746 decretos promulgados.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Atos deste tipo de Bolsonaro no período priorizaram mudanças na estrutura e organização do governo federal.

Os opositores ao governo, conforme reportagem da Folha de S.Paulo publicada neste domingo (28), observam que, por não ter votos no Congresso, Bolsonaro edita decretos para atender interesses pontuais.

Um dos atos mais criticados tentou mudar a classificação de sigilo de documentos públicos, mas voltou atrás após sofrer derrota no Congresso. A flexibilização de regras para armamento também se deu por decreto.

Ele também foi o presidente que mais tentou governar com medidas provisórias. Nos primeiros 18 meses de mandato, editou 116 MPs, o que dá uma média de 6 por mês. Desse total, 13 trataram do novo coronavírus (Covid-19).