Medeiros

Vacina de Oxford contra o coronavírus começa a ser testada em voluntários

Com informações do Bahia.ba

Foto: Freepik

Doses da vacina contra o novo coronavírus (Covid-19), desenvolvida pela Universidade de Oxford (Inglaterra), começaram a ser aplicadas em voluntários na Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Segundo informou a Fundação Lemann, que financia o projeto, a vacina (ChAdOx1 nCoV-19) será inicialmente aplicada em dois mil voluntários de São Paulo e mais mil no Rio de Janeiro, com o apoio da Rede D’Or.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

“No último final de semana (20 e 21 de junho), a Fundação Lemann teve a oportunidade de celebrar com os parceiros envolvidos e especialistas responsáveis, o início dos testes em São Paulo para a vacina, liderada globalmente pela Universidade de Oxford”, informou a Lemann, do bilionário empresário Jorge Paulo Lemann.

Segundo a Unifesp, os voluntários em São Paulo serão profissionais de saúde entre 18 e 55 anos e outros funcionários que atuam no Hospital São Paulo, ligado à Escola Paulista Medicina, da Unifesp.

A vacina, cujo pedido de testes no Brasil foi feito à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) pela farmacêutica AstraZeneca, está atualmente na fase 3 de testes, “o que significa que a vacina encontra-se entre os estágios mais avançados de desenvolvimento”, disse a Unifesp.

O Brasil é o primeiro país fora do Reino Unido a iniciar testes. Um dos motivos que levaram à escolha foi o fato de a pandemia estar em ascensão no país.