Medeiros

Bolsonaro promete reunião no Ministério da Saúde a mulher que diz ter achado a cura do coronavírus no alho

Foto: reprodução

Uma mulher, ao encontrar com o presidente Jair Bolsonaro, afirmou que alho cru curava coronavírus. Após ouvir o tratamento sugerido por sua apoiadora, Bolsonaro imediatamente prometeu que arrumaria um horário para ela discutir a proposta com o ministério da Saúde.

A apoiadora disse que a cura foi informada após uma visão divina. Ela diz que “conversa com Deus” desde os seis anos de idade.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

A confiança no tratamento é tanta que ela disse que está disposta a servir de cobaia para comprovar que possui a cura da doença que já matou 397.380 pessoas no mundo e tem mobilizado cientistas de todo planeta.

“Eu trouxe a cura do coronavírus e eu coloco a minha vida à disposição. Tenho 38 anos, sou mãe de três filhos, eu não estou aqui para brincadeira. Deus fala comigo desde os seis anos. Deus quer mudar esse País. Deus quer te exaltar na presença de todos os povos e nações. Não preciso que acredite em mim. Preciso que ponha a prova. Podem injetar o vírus em mim. Eu assumo todas as responsabilidades. Eu trouxe comigo. E é tão natural, é tão perfeita, é tão mágico, é tão natural, é tão de Deus que o povo vai dizer que é impossível”, afirmou a mulher.

Após ouvir o relato, Bolsonaro afirmou: “Eu te arranjo amanhã para a senhora conversar lá, alguém para conversar com a senhora no Ministério da Saúde. Pode ser?”

A mulher informou ao presidente que a cura milagrosa pode vir do alho cru. “Sabia que quando a pessoa usa um dente de alho cru por dia aumenta a imunidade? Por quê? Porque é rico em enxofre. O enxofre mata o coronavírus”, garantiu.

O presidente então pediu que ela entre em contato com sua assessoria. “Deixa o telefone com alguém aqui, anota”, determinou Bolsonaro.

O site do Ministério da Saúde classifica de fake news a informação que relacionava o alho à cura da doença. “Coronavírus pode ser curado com tigela de água de alho recém-fervida – É FAKE NEWS!”, informa a página oficial do ministério.

*Com informações do Correio