Covid-19: Mais de 2,5 milhões teriam morrido se EUA seguissem exemplo do Brasil, diz Trump

Do Bahia Notícias

Aliado do presidente Jair Bolsonaro e uma das referências políticas do chefe de Estado brasileiro, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta sexta-feira (5), em Whashington, que o país poderia ter tido mais de 2,5 milhões de mortos por coronavírus se seguisse o exemplo brasileiro de combate à disseminação da doença.

“Se você olha para o Brasil, eles estão num momento bem difícil. E, falando nisso, continuam falando da Suécia. Voltou a assombrar a Suécia. A Suécia também está passando por dificuldades terríveis. Se tivéssemos agido assim, teríamos perdido um milhão, 1,5 milhão, talvez 2,5 milhões ou até mais”, afirmou.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Vídeo reprodução /Twitter @Bahianoticias

Com 1.886.555 de casos da Covid-19, os EUA possuem, até o momento, 108.813 mortes pela doença, de acordo com a Universidade Johns Hopkins, que mapeia os dados do novo coronavírus ao redor do mundo.

Segundo o Ministério da Saúde, o Brasil possui 614.941 casos confirmados da Covid-19, com 34.021 óbitos. Desta forma, o país é a segunda nação no mundo com o maior número de pessoas infectadas, atrás apenas dos norte-americanos, e a terceira em número de mortos – EUA e Reino Unido estão à frente.

Inicialmente, Trump havia minimizado os impactos do vírus no país. Nesta sexta, o mandatário dos Estados Unidos disse que as autoridades devem se concentrar em proteger os idosos, com maior probabilidade de morrerem, e permitir que os jovens voltem ao trabalho e à escola.

No Brasil, Bolsonaro possui posicionamento semelhante. O presidente brasileiro chegou a afirmar que a Covid-19 é uma “gripezinha”. Em momentos de pico de mortos, ele chegou a passear de jet ski e fazer piada entre a tubaína e a cloroquina, remédio insistido por ele como forte aliado no combate à pandemia.