Obama fala sobre protestos nos EUA e pede que prefeitos repensem uso da força policial

Redação, com BN

Foto: Reprodução

Em meio a mais um dia de protestos antirracistas em repúdio à morte do ex-segurança George Floyd por um policial branco em Minneapolis, nos Estados Unidos, o ex-presidente norte-americano, Barack Obama, pediu que prefeitos repensem o uso da força policial para conter os grupos. A fala de Obama nesta quarta-feira (3) vai de encontro ao proposto pelo atual presidente, Donald Trump, que sugeriu, em reuniu, que governadores que não usarem táticas agressivas contras os manifestantes podem ser vistos como “babacas” (veja aqui).

“Eu peço que cada prefeito reveja o uso da força policial e faça as mudanças que forem necessárias”, disse Obama em um discurso transmitido a partir de Chicago.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Obama citou ainda um relatório sobre uso da força policial que, segundo ele, propõe reformas e foi lido por “vários prefeitos e outras autoridades eleitas”, mas que “depois disso, não houve empenho o bastante”.

Obama disse que apoia os policiais que agem de maneira justa e agradeceu a eles pelo trabalho. Agentes têm participado de atos pacíficos, repetindo o gesto com o joelho que se tornou símbolo dos protestos no país.

“Vocês devem ser capazes de aprender e cometer erros e viver uma vida de alegria sem se preocupar com o que vai acontecer se você sair para uma loja, sair para fazer uma corrida, se estiver dirigindo pelas ruas ou observando pássaros no parque” , disse ao fazer referência aos jovens negros.

“Por mais trágicas que as últimas semanas tenham sido, por mais difíceis, assustadoras e incertos que tenham sido, este tempo também é uma oportunidade incrível para que pessoas acordem para algumas dessas questões”, completou Obama.

X