Medeiros

Protestos contra racismo chegam ao 5º dia nos Estados Unidos

Com informações do Metro1

Foto: Reprodução / AFP TV

Pelo quinto dia seguido, manifestantes voltaram a ocupar ruas de várias cidades dos Estados Unidos em protestos antirracistas após a morte do ex-segurança George Floyd, sufocado por um policial durante uma abordagem em Minneapolis.

Na madrugada de hoje (31), os manifestantes desafiaram o toque de recolher imposto em pelo menos 25 cidades americanas, como Los Angeles e Minneapolis, o que aumentou a tensão. Ao menos uma pessoa morreu e três foram baleadas.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Na cidade onde Floyd foi morto, manifestantes atearam fogo em um prédio dos correios, e continuaram nas ruas, mesmo com a ordem do prefeito Jacob Frey para que voltassem para casa.

O presidente Donald Trump afirmou, no Twitter, que enviou militares para conter os protestos violentos em Minneapolis, e fez críticas ao prefeito, que é do Partido Democrata.

Em outras cidades, a maioria dos atos ocorreu de forma pacífica, mas houve episódios de confronto em cidades como Los Angeles, Chicago, Filadélfia e Nova York. Devido ao tumulto, alguns governadores já pediram reforços da Guarda Nacional.

Segundo a agência Associated Press, desde o início dos protestos até o começo da madrugada deste domingo, 1,4 mil pessoas foram presas em 17 cidades dos EUA.