Medeiros

Ex-ministro Henrique Mandetta terá ‘quarentena’ remunerada, decide Comissão de Ética

Aratu On

Reprodução/ABr

O ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, deverá ter uma ‘quarentena’ remunerada por seis meses, antes de ser contratado para atuar novamente no setor privado. A decisão é da Comissão de Ética Pública da Presidência da República, divulgada nesta última terça-feira (26/5).

De acordo com a determinação, Mandetta continuará recebendo o salário que recebia como ministro. Isso porque, em geral, pela lei, após a saída do cargo, ministros e outros membros que atuaram em cargos de direção no Governo Federal, e que desejarem assumir outras atividades, precisam consultar a Comissão de Ética sobre a necessidade de cumprir esse período de ‘quarentena’.

Sedundo o jornal Folha de S. Paulo, Mandetta havia feito o pedido à presidência, depois de receber convites para trabalhar como consultor em organizações privadas. A comissão, no entanto, determinou que o ex-ministro deve cumprir esse período de seis meses, porque teria tido acesso a “informações privilegiadas” enquanto esteve ocupando o cargo, o que poderia gerar conflitos de interesse.