Medeiros

Casamento em igreja na Bahia é alvo de protesto e paróquia é notificada após convidados não usarem máscara

fonte: G1

Foto: Prefeitura de Salvador

Apesar das celebrações com até 50 pessoas serem permitidas em Salvador durante a pandemia da Covid-19, um casamento realizado em uma igreja da Vitória, bairro de luxo da capital baiana, neste sábado (23), chamou atenção após vários participantes não usarem máscara, a proteção é recomendada como prevenção ao novo coronavírus. Por causa disso, a paróquia será notificada.

Nas imagens, dá para ver que muitos participantes, incluindo os noivos, estavam sem o acessório por vários momentos. Apesar de a igreja não estar cheia, é possível perceber que as pessoas, que ficaram no altar, estavam próximas umas das outras, sem respeitar o distanciamento de, pelo menos, um metro entre eles.

Conforme explicou a Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Urbanismo (Sedur), as celebrações não estão proibidas nas igrejas de Salvador, desde que respeitem a quantidade máxima de pessoas e as medidas de distanciamento.

Além disso, a secretaria explicou que os casamentos não são eventos que dependem de licença para ocorrer. Por isso, nesse aspecto, não há nenhum tipo de irregularidade. No entanto, ressaltou que a falta das máscaras vai contra as determinações municipais e também das organizações de saúde.

Por meio de nota, a Paróquia Nossa Senhora da Vitória, onde o casamento foi realizado, disse que os “noivos e a empresa responsável pelo cerimonial foram informados da obrigatoriedade do uso de máscaras, do limite de pessoas e do distanciamento exigido, em conformidade com as determinações das autoridades de saúde”.

Apesar disso a paróquia relatou que “infelizmente o que foi acordado não foi cumprido pelos participantes da celebração”. E que lamenta o ocorrido e que reforça o comprometimento com as atividades oracionais, celebrações de missa e ações sociais, respeitando as regras e orientações da Prefeitura Municipal de Salvador.

Ainda segundo a Sedur, a notificação enviada para a igreja será uma ação fiscal e funciona como alerta, para que a igreja fique ciente da necessidade de usar máscaras em possíveis novos eventos.

Vários moradores do entorno da igreja protestaram contra a cerimônia. Houve manifestações também nas redes sociais da paróquia: “Que vergonha!realizar uma cerimônia coma aglomeração de pessoas em plena pandemia mundial revela total falta de empatia à situação, às vítimas e suas famílias”, disse.