Bahia reduz estimativa de colapso no sistema de saúde e prevê esgotamento em junho

Metro1

Foto: Elói Corrêa / GOVBA

O secretário de Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, afirmou que o estado diminuiu a expectativa de colapso para o sistema de saúde destinado ao tratamento do coronavírus. Em entrevista a Mário Kertész hoje (12), na Rádio Metrópole, ele comentou que o crescimento no número de casos deixou de ser exponencial para se transformar em linear nas últimas semanas.

“Temos observado uma redução progressiva da taxa de crescimento semana após semana. Começamos há 60 dias atrás com um taxa de 40% de crescimento de um dia para o outro. Ficamos com uma taxa de crescimento de 10% por muito tempo, conversávamos de que era necessário baixar para 7%. Hoje estamos com 6,5% de crescimento. Essa redução nos fez sair de um colapso no final do mês de maio que aconteceria no final do mês de maio, quando iríamos esgotar completamente todos os leitos, para meados de junho”, declarou Fábio Vilas-Boas.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Ainda de acordo com o secretário, a Bahia iniciou a preparação desde que a pandemia foi anunciada na China. Para isso, ocorreu uma qualificação do setor de saúde do estado e um incremento no setor laboratorial. “Inauguramos o Lacen de Barreiras e de Vitória da Conquista, anunciando a capacidade de fazer 2.000 exames por dia. Há três meses atrás, era de 100 a 200 exames por dia. Naquela época compramos os insumos antes do mundo inteiro sair comprando. Fizemos a capacitação diagnóstica dos médicos e profissionais para saber o que se fazer em coronavírus”, afirmou o gestor.

Ele revelou que o primeiro caso suspeito de coronavírus na Bahia surgiu em meados de fevereiro, mas foi descartado. O paciente foi atendido no interior e transferido para Salvador por UTI aérea até a confirmação de que não era um caso de Covid-19.

X