Número de casos confirmados de Covid-19 na Bahia chega a 4.528

iBahia

Foto: Leopoldo Silva/Agência Senado

No início da noite desta quinta-feira (7), a Secretaria da Saúde da Bahia (Sesab) divulgou que o número de casos confirmados do novo coronavírus na Bahia chegou a 4.528 e que o número de óbitos pela doença chegou a 165. Além disso, o boletim informa que 1.070 pacientes estão recuperados e outros 3.293 permanencem monitoradas pela vigilância epidemiológica e com sintomas da Covid-19.

Os casos confirmados ocorreram em 158 municípios do estado, com maior proporção em Salvador (63,54%). Os municípios com os maiores coeficientes de incidência por 1.000.000 habitantes são: Os municípios com os maiores coeficientes de incidência por 1.000.000 habitantes são Ipiaú (2.201,73), Ilhéus (1.694,11), Uruçuca (1.657,00), Itabuna (1.327,25) e Coaraci (1.118,11).

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

O boletim epidemiológico registra 10.864 casos descartados e 19.017 notificações em toda a Bahia. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Bahia (Cievs-BA), em conjunto com os Cievs municipais.

Óbitos

A Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) contabiliza 165 mortes pelo novo coronavírus nos seguintes municípios: Adustina (1); Água Fria (1); Araci (1); Belmonte (1); Buerarema (3); Camaçari (2); Capim Grosso (2); Catu (1); Feira de Santana (2); Gandu (1); Gongogi (2); Ibirataia (1); Ilhéus (11); Ipiaú (2); Itabuna (6); Itagibá (1); Itapé (1); Itapetinga (2); Jequié (1); Juazeiro (1); Lauro de Freitas (5); Maraú (1); Nilo Peçanha (1); Ribeira do Pombal (1); Salvador (101); São Francisco do Conde (1); Ubaitaba (1); Uruçuca (4); Utinga (1); Vereda (1); Vitória da Conquista (4). Estes números contabilizam todos os registros de janeiro até as 17 horas desta quinta-feira (7).

Faixa etária

Quanto ao sexo dos casos confirmados, 50,79% foram do sexo feminino. A faixa etária mais acometida foi a de 30 a 39 anos, representando 24,47% do total. O coeficiente de incidência por 1.000.000 de habitantes foi maior na faixa etária de 80 anos e mais (604,92/1.000.000 habitantes), indicando que o risco de adoecer foi maior nesta faixa etária, seguida da faixa de 30 a 39 anos (482,97/1.000.000 habitantes).

Ressaltamos que os números são dinâmicos e, na medida em que as investigações clínicas e epidemiológicas avançam, os casos são reavaliados, sendo passíveis de reenquadramento na sua classificação.

X