De 96,9 milhões de cadastros para auxílio emergencial, 33,8% não se enquadram

Foto: Marcello Casal Jr / Agência Brasil

Dos 96,9 milhões de CPFs que já foram analisados e enviados à Caixa Econômica Federal para recebimento do auxílio emergencial de R$ 600, 50,52 milhões atenderam aos critérios da lei e foram considerados elegíveis, ou seja, 52,1% do total. Os dados dizem respeito ao período encerrado em 30 de abril e foram informados hoje (1º) pela Dataprev, empresa pública responsável por identificar quem tem direito ao benefício.

Outros 32,77 milhões estão inelegíveis e não poderão receber o auxílio (33,8%), enquanto 13,67 milhões (14,1%) são classificados como inconclusivos, ou seja, precisam de complementação nos cadastros.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Em comparação com o balanço anterior divulgado pela Dataprev, o índice de aprovação dos pedidos caiu 2,1%, enquanto o de reprovação teve alta de 2,6%.

Dos três grupos que têm direito ao auxílio – microempreendedores individuais (MEIs), contribuintes individuais (CIs) e trabalhadores informais (Grupo 1); inscritos no Cadastro Único e beneficiados pelo Programa Bolsa Família (Grupo 2); e inscritos no CadÚnico e não beneficiados pelo programa de transferência de renda (Grupo 3) -, o que tem maior índice de aprovação é o dos inscritos no Cadastro Único e beneficiários do Bolsa Família. Segundo a Dataprev, 96,5% dos pedidos desse grupo foram aprovados.

No grupo de quem está no Cadastro Único e não é beneficiário do Programa Bolsa Família, o índice de exclusão é de 66,35% do total. Já entre os que se cadastraram pelo site e app, menos da metade dos pedidos processados foram aprovados. Neste último caso, em comparação com o balanço anterior, houve uma alta de 7 pontos porcentuais no índice de reprovação.

Metro1
X