Justiça bloqueia R$ 3 mi e bens do ex-jogador Cafu por suspeita de envolvimento em crime financeiro

Do portal Metro1

Foto: reprodução/G1

O ex-jogador Cafu, capitão do pentacampeonato mundial da seleção brasileira, em 2002, teve R$ 3 milhões e bens bloqueados pela Justiça de Goiás após suspeita de envolvimento em um esquema de pirâmide financeira.

A investigação indica que Marcos Evangelista de Morais, seu nome de batismo, estaria participando da negociação de bitcoins, moedas virtuais. Ele é apontado como embaixador da empresa Arbcrypto, responsável pelo crime.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

A liminar foi assinada na última terça-feira (21), pelo juiz Aureliano Albuquerque Amorim, após uma ação civil coletiva movida pelo Instituto Brasileiro de Estudo e Defesa das Relações de Consumo de Goiás (Ibedec). O bloqueio foi feito para que fossem reparados possíveis danos financeiros às vítimas do golpe.

Além do bloqueio de dinheiro e bens, a Justiça ainda determinou a paralisação das atividades da empresa por meio físico e virtual.

X