Jurista que apoiou impeachment de Dilma quer que Bolsonaro passe por teste de sanidade mental

Aratu On

Marcelo Camargo/Agência Brasil

O jurista Miguel Reale Júnior sugeriu que o presidente Jair Bolsonaro deveria fazer um teste de sanidade mental, após ter participado das manifestações pró-governo no último domingo (15/3). A declaração foi dada ao jornal Estadão.

“Seria o caso de submetê-lo a uma junta médica para saber onde o está o juízo dele. O Ministério Público pode requerer um exame de sanidade mental para o exercício da profissão. Bolsonaro também está sujeito a medidas administrativas e eventualmente criminais. Assumir o risco de expor pessoas a contágio é crime”, disse.

“O impeachment é um processo muito doloroso”, disse o ex-ministro da Justiça, um dos autores do pedido de impedimento contra Dilma Rousseff. Em caso de positivo, Bolsonaro seria considerado com doença mental.

X