Patrão mata funcionário por conta de R$ 200 e ‘esquece’ dedo na cena do crime

Foto: reprodução/G1

Um ajudante de pedreiro, de 24 anos, foi morto a facadas na frente da mãe após reclamar com o patrão sobre atraso de salário em Praia Grande, no litoral de São Paulo. O criminoso fugiu deixando seu próprio dedo na cena do crime.

Em depoimento ao portal G1, os familiares do jovem Max Santos saiu de Propriá, no Sergipe, para trabalhar em busca de condições melhores de vida. Ele atuava como ajudante de pedreiro para um conhecido, que seria vizinho da família.

Max cobrou o patrão sobre a dívida de R$ 200 por um serviço prestado de pintura. No meio da discussão formada, o patrão teria ameaçado o ajudante, dizendo que iria buscar uma arma para matá-lo. Max voltou à sua residência, onde estava apenas com a mãe.

No início da noite deste sábado, o homem foi até a residência do ajudante e o golpeou na frente da mãe da família. De acordo com a Polícia Militar, rastros de sangue foram encontrados em todos os cômodos da casa. O órgão também informou que o patrão acabou decepando o próprio dedo em um dos golpes. O membro foi deixado no local do crime e o autor fugiu.

O caso foi registrado no DP Sede de Praia Grande e segue sendo investigado.

*As informações são do G1

X