Deputado propõe que políticos tenham as mãos amputadas em casos de corrupção

Foto: MJS / Michel Jesus/ Câmara dos Deputados

A pena para políticos condenados por formação de quadrilha varia de um a três anos de prisão, punição que pode ser maior a depender de outros crimes que tenham sido cometidos e da gravidade do caso. Insatisfeito com as regras do direito penal, o deputado federal Boca Aberta (Pros-PR) protocolou um projeto de lei na Câmara dos Deputados para que políticos — do presidente da República aos vereadores — tenham as mãos direita e esquerda amputadas em caso de condenação por crime de abuso de poder econômico, improbidade administrativa e enriquecimento ilícito. O projeto prevê ainda que a amputação dos políticos corruptos seja feita pelo SUS.

O texto protocolado pelo deputado nesta terça-feira estabelece que o presidente, governadores, prefeitos, membros do Congresso Nacional, das Assembleias Legislativas, das Câmaras Legislativas e das Câmaras Legislativas Municipais condenados em decisão transitada em julgado, quando não cabe mais recurso, sejam punidos com o corte das duas mãos.

A Lei brasileira não prevê a amputação ou a pena de morte como forma de punição de condenados seja qual o crime tenha sido cometido.

Na justificativa do projeto, o deputado diz que “políticos se aproveitam da boa fé dos eleitores, prometem tudo, não cumprem e nada-lhes acontece” e que a “população está cansada de sofrer nas mãos de políticos inescrupulosos e frios, pessoas más, desumanas”.

“Políticos desviam verbas de vários setores como educação, saúde e muita gente morrem (sic) por causa disso. Eles matam milhares de pessoas e ninguém faz nada”, diz o parlamentar na justificativa.

As informações são do Extra

X