Padre deixa bebê ferido e quase o afoga ao batizá-lo com violência; veja vídeo

Foto: reprodução/Internet

O batizado de uma criança é um momento aguardado por muitos pais, seus amigos e familiares. Comunhão e harmonia são palavras que deveriam traduzir esse momento. No entanto não foi o que aconteceu num batismo na igreja de Gatchina, perto de São Petersburgo, na Russia. Ao pegar um bebê de um ano no colo, o padre ortodoxo russo Fotiy Necheporenko empurra-o com força para dentro da pia batismal, que era pequena para o tamanho da criança.

A cena foi registrada em vídeo, que mostra o padre submergindo violentamente a criança nua por várias vezes. Assustada e em pânico, a criança chora cada vez mais, o que parece deixar o padre irritado. Visivelmente assustada, a mãe da criança, Anastasia Alexeeva, de 24 anos, precisou interferir na cerimônia e tirar à força o filho dos braços do padre.

O site Daily Mail contou que a criança ficou arranhada e com marcas no pescoço e ombro por conta da maneira como o padre a segurou. A mãe da criança disse que agora o menino está traumatizado e tem “medo de tudo”.

A agência de notícias Fontanka informou: “A cerimônia sacramental que custou 3.500 rublos, [o equivalente a 216 reais], assemelhava-se a um exercício sádico, e o bebê sofreu arranhões e contusões”. Uma fonte da igreja disse que “violento” era uma descrição leve da procedência do padre.

Assista o vídeo.

O padre foi afastado por um ano das atividades da igreja e ainda culpou as “altas emoções” da mãe pelo ocorrido. Antes de ser suspenso, ele defendeu-se: “O que realmente aconteceu? Nada, e não é minha culpa. Era tudo sobre as emoções alteradas da mãe. Ela é uma pessoa sem experiência na igreja e não estava pronta para batizar”, afirmou.

As regras da igreja ortodoxa preveem que o bebê seja submerso por três vezes. “E foi isso que eu fiz. O bebê não engoliu água, não bateu nas paredes da pia batismal ”, disse o padre, que alegou ainda ter 26 anos de experiência com o batismo de crianças. “Sempre as batizei assim. Eu cumpri meu dever na igreja”, disse.

Antes da cerimônia, o padre havia acusado Anastasia de não conhecer as orações da igreja e não ser suficientemente religiosa. Depois do ocorrido, ela o denunciou à polícia da cidade. Ele foi convocado a se explicar às autoridades da igreja. E a polícia vai investigar o caso.

*Com informações da Revista Crescer