Bolsonaro diz que ‘cocozinho petrificado em índio’ impede licenciamento de obras pela Funai

Metro1

Foto: Clauber Cleber Caetano/PR

O presidente da República, Jair Bolsonaro, afirmou hoje (12) que encontrar “cocozinho em índio” pode fazer com que a Fundação Nacional do Índio (Funai) não autorize a realização de obras.

A declaração à imprensa foi após cerimônia de inauguração de um trecho duplicado da BR-116, na cidade de Pelotas, na região Sul do Rio Grande do Sul.

De acordo com o presidente, a construção de um terminal de contêineres no Paraná que supostamente estaria parada devido à necessidade de licenciamento ambiental pela Funai

“Há anos, o terminal de contêiner do Paraná, se não me engano, não sai do papel porque precisa agora também de um laudo ambiental da Funai. O cara vai lá e se encontrar, já que tá na moda, um cocozinho petrificado em índio, já era, não pode fazer mais nada ali”, declarou. “Temos que acabar com isso no Brasil, integrar o índio à sociedade e buscar o projeto pro Brasil”, completou.

Na semana passada, Bolsonaro já havia sugerido a um repórter “fazer cocô dia sim, dia não” para reduzir a poluição ambiental

Também durante a visita, o presidente declarou que não quer “irmãos argentinos fugindo para cá”, após a derrota de Mauricio Macri nas eleições primárias do país vizinho.

“Se essa ‘esquerdalha’ voltar aqui na Argentina, nós poderemos ter, sim, no Rio Grande do Sul, um novo estado de Roraima”, afirmou.

Ele ainda disse que pretende acabar com os radares móveis no país na próxima semana.