PGR determina arquivamento de pedido de suspeição contra Gilmar Mendes

Do Metro1

Foto: reprodução

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, determinou hoje (11) o arquivamento de representação que pedia arguição de suspeição ou impedimento do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes para atuar mais em casos envolvendo o ex-senador Aloysio Nunes (PSDB) e Paulo Vieira de Souza, apontado como operador do PSDB.

De acordo com o portal jurídico Jota, o pedido foi feito procuradores da República que integram a Força-Tarefa da Lava Jato em Curitiba (PR). A ação tinha como base a informação de que um dos investigados, o ex-senador Aloysio Nunes Ferreira, contactou o ministro para, supostamente, pedir que ele beneficiasse Paulo Vieira de Souza, na análise de um habeas corpus. Na avaliação de Dodge, os fatos não apontam amizade íntima entre o senador e o ministro do STF.

“Os fatos narrados pelos representantes — extraídos de diligências apuratórias autorizadas em medidas cautelares judiciais, que lhes permitiram acesso a comunicações telefônicas e telemáticas de Aloysio Nunes Ferreira — chamam a atenção pela ousadia do investigado em, aparentemente, tentar interceder a favor de um réu em ação penal na qual atuaria como testemunha”, escreveu a procuradora-geral.

“Ainda que tenha efetivamente ocorrido, o contato com o gabinete do Ministro ou com o próprio Ministro não revelou amizade íntima entre ambos, nem, do ponto de vista objetivo, influiu, nem determinou o juízo valorativo do magistrado em relação ao réu ou à causa, vez que, na sequência dos fatos narrados, a decisão liminar foi revogada”, afirmou.