Alden denuncia Kannário ao MP por suposta referência à facção; “aqui tem comando”

Do Aratu ON

Foto: montagem/Aratu Online

O deputado estadual Capitão Alden (PSL) protocolou uma representação junto ao Ministério Público da Bahia (MP-BA) contra o deputado federal e cantor baiano Igor Kannário (DEM).

Nos dois dias em que desfilou no Carnaval, nos circuitos Dodô e Osmar, o artista estava vestindo um figurino que se assemelha a um uniforme militar, ostentando um distintivo de braço escrito “Comando da Paz”, que é o mesmo nome de uma facção criminosa que atua em Salvador, principalmente na região do Nordeste de Amaralina.

No texto, Alden, que é policial militar, destacou que “isso ocorreu no momento que o Governo Federal, em parceira com os governos estaduais, estão se unindo para combater as organizações criminosas”. “Inclusive foi proposto pelo Ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, um Projeto de Lei Anticrime”, argumentou.

“Passará a ser considerada ‘organização criminosa’ qualquer grupo a partir de quatro pessoas ‘estruturalmente ordenada e caracterizada pela divisão de tarefas’ cujos integrantes atuem com o “objetivo de obter, direta ou indiretamente, vantagem de qualquer natureza, mediante a prática de infrações penais”, explicou o deputado.

Capitão Alden sustentou ainda que Kannário proferiu gestos obscenos em frente ao Camarote da PM, “despeitando desta forma não só as organizações militares e os profissionais de segurança pública, como também, toda a sociedade”. “Está na hora de mostrar que aqui nesta terra tem comando, ordem e que ninguém está acima da lei!”.

VEJA O VÍDEO

A assessoria de imprensa de Kannário informou que a possível polêmica foi desmentida pelo próprio cantor durante os dias de folia. Nas oportunidades, ele disse que tudo não passou de uma “infeliz coincidência”.