Parlamento venezuelano considera segundo mandato de Nicolás Maduro ilegítimo

Foto: Reprodução / EBC

O novo mandato do presidente venezuelano Nicolás Maduro foi declarado como ilegítimo pela Assembleia Nacional da Venezuela, neste sábado (5).

Maduro saiu vitorioso na eleição realizada no mês de maio de 2018, que foi boicotada pela oposição e não reconhecida pelos Estados Unidos, pela União Europeia e por vários países latino-americanos.

O novo governo deverá ter início na próxima quinta-feira (10). No entendimento do parlamento, a partir desta data a presidência será usurpada. O novo mandato de Maduro tem início em 2019 e segue até 2025.

“Reafirmamos a ilegitimidade de Nicolás Maduro (…). A partir de 10 de janeiro, estará usurpando a Presidência e, consequentemente, esta Assembleia Nacional é a única representação legítima do povo”, declarou Juan Guiadó, que tomou posse como presidente do Legislativo neste sábado, escolhido por unanimidade.