Banner IPTU Junho / São João

Polícia apreende armas e dinheiro na casa de João de Deus; valor será divulgado

Do UOL

Crédito da Foto: Uol

A Polícia Civil de Goiás apreendeu na terça-feira (18/12) uma mala com dinheiro em espécie e armas na casa do médium João Teixeira de Faria, o João de Deus. A residência fica na cidade de Abadiânia, em Goiás, onde ele se tornou conhecido como líder espiritual, e era um dos alvos dos mandados de busca e apreensão que foram cumpridos pelos agentes.

Os policiais não divulgaram ainda qual seria o valor encontrado nem quantas seriam essas armas. Mas a reportagem apurou que os agentes da força-tarefa gastaram algumas horas fazendo a contagem das notas de dinheiro após a apreensão.

O montante deve ser divulgado em entrevista coletiva, marcada para o fim da manhã desta quarta-feira (19). Questionado sobre a descoberta, Alberto Toron, um dos advogados de João de Deus, negou que o dinheiro tenha qualquer relação com a suposta movimentação de R$ 35 milhões nas contas do médium, registrada às vésperas da prisão dele, no Domingo passado (16).

Ainda que o dinheiro encontrado não tenha relação com essas movimentações bancárias da semana passada, a apreensão deve dificultar ainda mais os pedidos da defesa para a revogação da prisão preventiva do médium. A estratégia da defesa era converter a detenção em prisão domiciliar, por exemplo.

As buscas realizadas na tarde de terça-feira duraram mais de quatro horas e se concentraram em três endereços principais: a Casa Dom Inácio de Loyola, onde João de Deus fazia os atendimentos espirituais, a residência pessoal do médium e o endereço de uma entidade comunitária, conhecida como Casa da Sopa, que distribui alimentação para os moradores da comunidade.

Da casa onde mora João de Deus, a Polícia retirou um malote com o dinheiro, as armas, além de documentos que serão averiguados para seu possível uso como prova documental na investigação de abuso sexual. O primeiro local a ser alvo de buscas da polícia na cidade goiana foi a Casa Dom Inácio Loyola. No centro, os policiais passaram pelo escritório administrativo, pelos salões onde aconteciam os cultos e também pelas salas pessoais de João de Deus.

Durante toda a busca, um dos advogados de João de Deus teve de acompanhar os trabalhos e deu explicações aos policiais. Ele também teve de fornecer chaves de armários e gavetas que estavam trancadas.

O objetivo desses mandados de busca e apreensão é esclarecer divergências em relação aos depoimentos das vítimas e de João de Deus. A Polícia Civil de Goiás deve encerrar seus primeiros inquéritos até sexta-feira (21). Por enquanto, o médium é investigado por envolvimento em 15 casos de abuso sexual. Ele nega todas as acusações.