Vendedor ganha indenização de R$ 10 mil após sofrer ataques racistas

Foto: TRT5

Um vendedor de uma distribuidora de bebidas, que fica localizada na cidade de Feira de Santana (a 109 km de Salvador), ganhou uma indenização de R$ 10 mil após ter sido apelidado de “Nikito” pelos colegas de trabalho. O apelido é em relação a uma marca de biscoito que tem um macaco como mascote.

O pedido de indenização foi julgado pela 3ª Vara do Trabalho de Feira de Santana e o assédio moral sofrido foi reconhecido, de forma unânime, pelos desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da Bahia (TRT5-BA). A decisão ainda cabe recurso.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Segundo a nota do TRT5, o vendedor afirmou também ter sido ofendido pelo seu chefe ao ter sido chamado de macaco, tendo inclusive encontrado bananas em sua motocicleta.

Ele afirmou ter comunicado as agressões aos superiores, mas nenhuma medida foi tomada no sentido de coibir as práticas, motivo que o fez pedir indenização por danos morais.

Com informações do A Tarde

X