Juninho Capixaba é aposta para ajustar defesa do Bahia

Foto: Felipe Oliveira l EC Bahia

Quando viajou a São Paulo para encarar o Santos, há quase um mês, o setor defensivo do Bahia era certamente o que mais merecia elogios no time. Vinha de cinco partidas com apenas dois gols sofridos e era, então, o sexto menos vazado do Campeonato Brasileiro.

Porém, desde aquela derrota por 3 a 0 para o Peixe, no Pacaembu, a porteira se abriu. Foram 12 tentos sofridos em período igual ao citado anteriormente, de cinco embates, tendo as redes balançadas em todos eles. Com isso, o Tricolor passou a ter a quinta defesa mais vazada do campeonato e vê a zona de rebaixamento a um ponto de distância, três a menos em relação à rodada que antecedeu aquele revés diante do Santos.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Para mudar essa história a partir deste domingo, quando recebe o Vasco na Fonte Nova, às 16h, o técnico interino Preto Casagrande vai apostar numa formação praticamente inédita na retaguarda. Jean, Eduardo, Tiago, Lucas Fonseca e Juninho Capixaba só atuaram juntos por pouco mais de 30 minutos na segunda etapa do triunfo por 2 a 1 sobre o São Paulo. O time não levou gols durante esse tempo.

Fonseca estará de volta após cumprir suspensão e o jovem Capixaba terá sua primeira chance como titular no lugar do criticado Matheus Reis, que cometeu pênalti bobo no último jogo: derrota por 4 a 1 para o Atlético-PR.

Trata-se, inegavelmente, de uma ‘fogueira’ para o garoto que completou 20 anos no mês passado. Além da responsabilidade de contribuir com a evolução defensiva do time, ele debutará em uma escalação inicial na elite do futebol brasileiro numa rodada em que, se perder, o Bahia tem grande chance de entrar na zona.

Mas Juninho tenta encarar tudo com serenidade. “Para ser jogador hoje, você tem que agradar a um milhão de pessoas. Então, é ter tranquilidade. Se a gente estiver tranquilo, o torcedor também vai estar”, considera.

Sobre os problemas na defesa, quem fala é o capitão Tiago: “A Série A é fatal. Apenas um lance decide um jogo. Vi um dado que 35% dos gols que a gente sofre são de vacilos. Isso não pode. A gente tem intensificado esses lances de bolas aéreas porque isso [falhas, como nos dois primeiros gols do Atlético-PR] não pode acontecer nos jogos”.

Apenas um susto?

Na preparação para a partida que pode selar seu destino à frente do time, como afirmou o presidente Marcelo Sant’Ana em entrevista na quarta-feira, Preto Casagrande promoveu um coletivo tático nesta quinta-feira, 17, no Fazendão. Durante a atividade, ocorreram dois problemas.

Tiago e o centroavante Rodrigão tiveram de deixar o campo, ambos por conta de dores no pé (no caso de Rodrigão, o mesmo da lesão que o deixou de molho por três jogos). A primeira avaliação do departamento médico é que nenhum dos dois preocupa.

Clube empresta Zé Roberto

Com contrato até o final do ano com o Bahia, o atacante Zé Roberto foi emprestado ao Santos para atuar pela equipe B. Depois, o jogador terá terminado o seu vínculo com o Tricolor.

A Tarde

X