“Disseram para eu me matar”, desabafa modelo com síndrome do ovário policístico

Foto: Reprodução/Instagram/Harnaamkaur

“Nem todo mundo está pronto para ver uma mulher com barba”, escreveu Harnaam Kaur. Em texto autoral publicado no “Metro.uk”, a jovem britânica de 25 anos desabafou sobre o preconceito e assédio que sofre por conta da barba que exibe orgulhosa.

Diagnosticada com Síndrome de Ovários Policísticos quando tinha apenas 12 anos, seus pelos crescem em excesso por todo o corpo e ela já é considerada pelo “Livro dos Recordes” a mulher mais jovem do mundo a ter uma barba cerrada.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

“Sempre sofri assédio por ser diferente, mas com o diagnóstico o bullying pirou. Já ouviu coisas bastante ruins: ‘Se mate com fogo’, ‘Vou atirar em você se te ver’, ‘Vou bater se te ver’, ‘Você é tão feia que deveria se matar’, ‘O mundo está acabando. Morra!’. Me tornei suicida e fui por muitos anos quando tinha 16 anos. Sofri assédio e fui constrangida pelo jeito que meu corpo parece, o que me fez odiar meu corpo”, escreveu Harnaam.

Embora o preconceito e comentários de ódio, a jovem decidiu parar de tentar se livrar de seus pelos e assumir a real aparência. Desde então, Kaur se tornou uma ativista pelo fim dos padrões de beleza e pela aceitação pessoal.

“Uma vez que você ame todo o seu corpo de coração, qualquer coisa que alguém disser não irá te afetar. Meu conselho para qualquer um que ache que tenha síndrome dos ovários policísticos é procurar ajuda de seu médico. Essa condição afeta tantos diferentes aspectos da sua vida e da saúde do seu corpo. Não sofra em silêncio”, continuou.

“Seu corpo mudará em muitas maneiras, e está tudo bem. Ninguém pode amar e nos aceitar a não ser que façamos isso nós mesmos, então não tenha vergonha de si e abrace o seu corpo porque você é feroz”, finalizou Harnaam.

Foto: Reprodução/Instagram/Harnaamkaur
Foto: Reprodução/Instagram/Harnaamkaur

Via RedeTV!

X