Juíza nega pedido de exumação do crânio de Gabrielly

A juíza da Primeira Vara Crime de Feira de Santana, Márcia Simões Costa, negou,  na tarde desta sexta-feira (7), o pedido de exumação que foi feito por familiares da vítima na última semana.

Foto: De Olho na Cidade

De acordo com o coordenador regional da Polícia Civil, João Rodrigo Uzzum, todos os exames necessários foram realizados, comprovando que os restos mortais encontrados no dia 14 de fevereiro eram da criança.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

“Nós estamos diante de uma verdade científica. Todos os exames foram realizados. Encontramos não só o crânio, mas outros fragmentos do corpo como fêmur, vertebras. Então no final das contas nós concluímos que são sim da criança. Nós não queríamos dar esta notícia, mas continuaremos trabalhando para prender o assassino”, disse o delegado em entrevista do De Olho na Cidade.

O caso

Gabrielly desapareceu no dia 21 de janeiro, enquanto brincava na frente de casa, no residencial Solar da Princesa. A ossada da garota Gabrielly foi localizada a 5 quilômetros do local onde a menina foi vista pela última vez.

Segundo a polícia, a confirmação de que a menina foi morta se deu por meio de um exame de DNA feito em um crânio encontrado queimado no dia 14 de fevereiro, em um terreno baldio, no Feira IX, perto do bairro Gabriela, onde a vítima morava. O resultado do laudo saiu no dia 26 de abril.

Do site Olho na Cidade, Rede Aratu

X