Um governo de vendaval de emoções

Foto: reprodução

Seria cômico se não fosse verdade, mas é assim que está a atual gestão de Alagoinhas. A gestão de Joaquim Berlamino Neto (DEM), em seis meses tem sido de muitas polêmicas, muitas falácias e poucos feitos. O prefeito em pouco tempo tem desagradado até os seus fiéis seguidores. Nas esquinas e bares da cidade o povo está sentindo a falta de uma gestão “presente”, que realmente mostre para que veio.

A mais nova da vez foi a exoneração de José Gomes (PV), que estava a frente da Diretoria do SAAE (Serviço Autônomo de Água e Esgoto), causando uma cratera no governo jovial, sem contar que dizem as más línguas, que Joaquim implorou para que a vice-prefeita Iraci Gama não se afastasse da Secretaria de Cultura Esporte e Lazer. Caso isso acontecesse seria uma tragédia a poucos dias dos festejos juninos da cidade.

Mesmo assim, é dado com incerto a sua permanência a frente da secretaria, o grupo Chico Reis está insatisfeito com as atitudes de JN, grupo esse que deu total apoio ao demista na eleição municipal, e até alguns dias atrás fazia parte do governo.

Caso a atual gestão não faça uma avaliação minuciosa dos fatos e das atitudes que estão sendo tomadas, não será possível fazer um próximo governo, ou se aproveita o tempo para aprender com os erros ou o martelo da insatisfação popular será batido, e não haverá mais misericórdia e nem tão pouco clemência.

As promessas que foram feitas a população precisam serem cumpridas, pois o período da ‘lua de mel’ já acabou, agora é hora de arregaçar as mangas e mãos à obra. É preciso ter em mente que eleições são em dois dois anos, mas a boa política precisa ser praticada todos os dias.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Alta Pressão

SOBRE ROGENIS DIAS

Rogenis Dias
Rogenis Dias
Radialista e formando em marketing, começou sua carreira aos 20 anos na Rádio comunitária Mundial FM como repórter do mundial notícias, também fez parte do Alta Pressão Notícias, que passou pelas rádios 93 FM e Nova AM 1240. Atualmente trabalha como locutor comercial, mas sempre está atento ao meio político.