Erro em alvará judicial autoriza baiana a receber R$ 3 trilhões da Tim

Foto: Reprodução/TJBA

Na última terça-feira (7) — em um dia de trabalho como outro qualquer — a 7ª Vara do Sistema dos Juizados Especiais de Causas Comuns, em Salvador, expediu um alvará judicial. O documento permite a retirada de uma quantia acertada previamente em um acordo judicial durante um processo. Neste caso, a ação havia sido movida contra a operadora TIM.

Até aí, tudo bem. Não fosse a extensa cifra presente no alvará: três trilhões, setecentos bilhões, cento e onze milhões, quinhentos e noventa e cinco mil e quinhentos e noventa e nove reais. Cansou? Pois é. O valor exorbitante foi fruto de um erro no sistema do tribunal, de acordo com a advogada responsável pela ação.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

A imagem do documento foi parar nas redes sociais e “quebrou” a internet. Lino passou a receber pedidos de casamento e chegou a ficar em primeiro lugar na lista de pessoas mais ricas do mundo no Wikipedia. “Venho através deste comentário informar que não estou trilionária como muitos imaginam e muito menos quero casar (por favor parem com os pedidos de casamento, com as ligações e pedidos de amizade no facebook). Já está ultrapassando os limites. Trata-se tão somente de um erro material do sistema da Vara, que está sendo sanado na medida do possível”, escreveu em sua conta no Facebook.

Metro1

X