Colômbia: 17 líderes sociais foram mortos desde acordo com as Farc, diz governo

Foto: Pixabay
Foto: Pixabay

Pelo menos 17 líderes sociais foram assassinados nos últimos dois meses, quando se aprovou o acordo de paz com a guerrilha das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), informou o governo nessa segunda-feira (30). A informação é da Agência France Presse (AFP).

“Já são 17 os líderes sociais assassinados desde 1º de dezembro, data na qual o Congresso da República referendou o acordo de paz”, relatou a Unidade para as Vítimas, em comunicado.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

“Estamos preocupados com a ocorrência desses fatos, porque a verdade é que estão massacrando os líderes sociais”, disse o o diretor do órgão, Alan Jara, citado no texto.

A última vítima foi o líder de restituição de terras Porfirio Jaramillo, morto sábado passado (28) no município de Turbo, departamento de Antioquia, quando quatro homens armados foram à sua casa e levaram-no à força em uma moto.

Na madrugada de domingo (29), a polícia encontrou o corpo de Jaramillo na área rural de Turbo. Ele reivindicava a devolução de um terreno à Unidade de Restituição de Terras (URT).

As Farc denunciaram, reiteradas vezes, esses casos de homicídio.

Da AFP

X