Moro ‘não tem comentário específico’ sobre conversas de Jucá; Barroso nega influência

sergio moro julho - Agência BrasilO juiz federal Sérgio Moro, da força-tarefa da Operação Lava Jato, preferiu não comentar as conversas divulgadas pelo jornal Folha de S. Paulo entre o ministro do Planejamento, Romero Jucá, e o presidente da Transpetro, Sérgio Machado, no qual eles tratam sobre um “pacto” para “estancar a sangria” causada pelas investigações.

“Não tenho comentário específico sobre essa situação porque não estou totalmente a par”, disse Moro, segundo informações do jornal Folha de S. Paulo. B Ele defendeu também que assuntos relativos ao Judiciário não devem sofrer interferência do governo.

“Não deve haver nenhuma interferência do governo. Os trabalhos devem ser independentes”, pontuou, durante o Fórum Veja, que acontece em São Paulo, promovido pela revista homônima. O ministro do Supremo Tribunal Federal Luis Roberto Barroso, também participa do evento e negou que Jucá tenha influência sobre os ministros do tribunal.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Na gravação, o peemedebista cita que o acordo nacional pararia “com o Supremo, com tudo”, responde Jucá. “É impensável que alguém tenha essa capacidade de paralisar as investigações. E que qualquer pessoa pode ter acesso a ministro do Supremo para parar as investigações. O ministro que chega ao Supremo só responde a sua biografia e a mais ninguém”, disse Barroso.

Moro também falou sobre a redução do ritmo da Lava Jato. “A Lava Jato não é um seriado, existe um trabalho de investigação feita em quatro paredes”, disse o juiz, que salientou que a investigação continua normalmente.