STF pede que PGR apresente mais informações sobre denúncia contra Renan

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin, pediu mais informações à Procuradoria-geral da República sobre a denúncia contra o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), no caso Mônica Veloso. O procedimento pode adiar ainda mais a apreciação do caso pelo plenário da Corte, que chegou ao STF no ano de 2013 e pode transformar o senador em réu.

Em fevereiro, Fachin chegou a liberar o processo para julgamento pelo plenário, mas o ministro retirou o caso da pauta dias depois. Renan Calheiros é acusado de cometer os crimes de peculato, falsidade ideológica e uso de documento falso em um escândalo sob investigação desde 2007, que tramita em segredo de justiça na Corte.

A PGR considerou que Renan recebeu propina pela construtora Mendes Júnior para apresentar emendas que beneficiariam a empreiteira. Em troca, o peemedebista teria as despesas pessoais da jornalista Mônica Veloso, com quem mantinha relacionamento extraconjugal, pagas pela empresa. No despacho do ministro Fachin, ele pede mais detalhes sobre os documentos que Renan teria falsificado para comprovar ao Conselho de Ética do Senado que os recursos usados para bancar a pensão da filha fora do casamento eram legais.