Plano do PMDB para a presidência incluem mudança nos aumentos do salário mínimo

temer2O colunista Fernando Molica, do Jornal O Dia, publicou nesta quinta-feira (14), trechos da cartilha de propostas do PMDB, divulgada ainda em 2015, já cogitando um possível impeachment da presidente Dilma Rousseff e Temer assumindo a presidência e que o PMDB vem pondo em prática. Segundo a publicação, o plano defende flexibilizar a aplicação das leis trabalhistas com o fim “de todas as indexações, seja para salários ou benefícios previdenciários”.

Batizado de ‘Uma ponte para o futuro’ e chamado de “Plano Temer” por Moreira Franco — um dos principais aliados do vice —, segundo o jornalista, o texto traduz anseios do empresariado e ajuda a explicar a articulação que quer fazer do vice o novo presidente.  Ou seja, Temer já vivenciava sua chegada ao poder, de olho na impopularidade de Dilma.

Ainda segundo o texto do Plano Temer, reajustes, entre eles o do salário mínimo, seriam negociados com o Congresso, e não haveria garantia de reposição da inflação. Aposentados também perderiam direito ao salário mínimo dos trabalhadores ativos: “(…) É indispensável que se elimine a indexação de qualquer benefício ao valor do salário mínimo”, diz a proposta. O programa também prevê idades mínimas para a aposentadoria: 65 anos para homens e 60 anos para mulheres.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Segundo o documento, o PMDB pretende acabar com a obrigatoriedade constitucional de se gastar com educação 18% da receita resultante de impostos e o governo também deixaria de ter que aplicar na saúde 15% de sua receita corrente líquida.

X