Marqueteiro do PT e mais 7 pessoas são indiciadas em inquérito da PF

naom_56ceb7f767d77A Polícia Federal (PF) apresentou o indiciamento preliminar do marqueteiro do PT João Santana, da esposa dele Monica Moura e de outros seis investigados no inquérito da 23ª fase da Operação Lava Jato – batizada de Acarajé. O documento foi protocolado no sistema da Justiça nesta terça-feira (22).

De acordo com o G1, a PF informou que há indícios de que Santana e Monica tenham cometido crimes de lavagem de dinheiro, corrupção passiva e organização criminosa através de depósitos no exterior não declarados. Desde 23 de fevereiro o casal está preso na Superintendência da PF, em Curitiba.

O Ministério Público Federal (MPF) irá analisar o indiciamento da PF para decidir se oferece ou não uma denúncia envolvendo as empreiteiras à Justiça Federal. Caso haja denúncia, e o juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos processos aceitá-la, os denunciados passarão a ser réus.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

A PF acredita que há indícios de que Santana teria recebido US$ 3 milhões de offshores ligadas à Odebrecht, entre 2012 e 2013, e US$ 4,5 milhões do engenheiro Zwi Skornicki, entre 2013 e 2014.

Os delegados apontam ainda que Monica Moura seria responsável pelo encaminhamento da cópia de um contrato que firmou com outra empresa modelo a Zwi Skornick e seu filho Bruno Skornick para a transferência de recursos que pretendiam realizar.

“A análise do modelo de contrato encaminhado é imprescindível para a continuidade das investigações. Monica relata que, “por motivos óbvios”, apagou o nome da empresa e, tampouco, possuía cópia eletrônica do documento, “por segurança”, destacou a Polícia.

Ainda segundo o G1, os delegados afirmam que a investigação indica que Monica, Zwi e Bruno pretendiam transferir recursos entre si de forma oculta e no exterior, fora do alcance das autoridades brasileiras, notadamente pelo caráter ilícito da transação.

Indiciados pela PF:

– João Cerqueira de Santana Filho – lavagem de dinheiro, corrupção passiva e organização criminosa;

– Monica Regina Cunha Moura – lavagem de dinheiro, corrupção passiva e organização criminosa;

– Zwi Skornick – corrupção ativa, lavagem de dinheiro e organização criminosa;

– Bruno Skornick – lavagem de dinheiro

– Eloisa Skornick – corrupção ativa e manutenção de conta não declarada;

– Pedro José Barusco Filho – corrupção passiva e lavagem de dinheiro

– Renato Duque de Souza – corrupção passiva

– Armando Ramos Tripodi – corrupção passiva

*Do Notícias ao Minuto