Petrobras anuncia venda de campos de petróleo em Alagoinhas

Estação de Tratamento de Óleo Camboatã - Foto: Vanderley Soares/Gazeta
Estação de Tratamento de Óleo Camboatã – Foto: Vanderley Soares/Portal Gazeta

Miranga e Buracica, dois dos maiores campos de petróleo e gás da Bahia, devem ser postos a venda pela Petrobras até janeiro de 2017. O anuncio foi feito na manhã desta quarta (02) no Auditório de Buracica, em Alagoinhas, segundo informou o sindicalista e vereador de Alagoinhas Radiovaldo Costa. “Agora no Auditório de Buracica cheio de trabalhadores contratados e Petrobras, o gerente do Pindobal Petrobras Ativo Norte, Marcelo, anunciou a venda dos polos Buracica e Miranga até janeiro de 2017”, relatou o sindicalista.

No dia 20 de fevereiro a Petrobras já havia anunciado a paralisação das atividades de exploração na Bahia, mas as medidas ainda não atingiam áreas diretamente ligadas a produção. Com a venda destes campos a Petrobras acelera o seu processo de retirada do Estado, no qual a empresa tem concessão de quase 80 campos em fase de produção.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

As medidas fazem parte da estratégia de vendas de ativos para recompor as finanças da empresa, da mesma forma que avança o processo de especialização em campos de maior produtividade – com foco no pré-sal e Bacia de Campos.

O campo de Buracica, situado no município de Alagoinhas, é atualmente o segundo maior produtor de petróleo da Bahia, com produção um pouco menor do que o campo de Araçás . Segundo a ANP, em novembro de 2015, o campo produziu cerca de 120 mil barris de petróleo e 114,2 mil metros cúbicos de gás.

Entre os ativos do campo de Buracica está a Estação de Tratamento de Óleo Camboatã, por onde passaram 135 mil barris de petróleo em novembro de 2015. Campo de Buracica possui em atividade 178 poços de petróleo, com produção média mensal de 673 barris de petróleo. Mesmo com a forte queda do preço do petróleo, somente a produção do mês de novembro teve valor, segundo a ANP, de aproximadamente R$ 18,4 milhões – o equivalente a R$ 220 milhões anual. Ainda em janeiro [mês de crédito da produção de novembro] a produção do campo pagou R$ 1,7 milhões em royalties.

Já o campo de Miranga, situado no município de Pojuca, é o maior produtor de gás em terra do estado da Bahia – com produção de cerca de 13 milhões de metros cúbicos. Além do gás o campo produziu outros 34 mil barris de petróleo. A produção no campo ocorre em 162 poços de óleo e gás. O valor da produção de Miranga em novembro foi de R$ 10,5 milhões no mês de novembro – equivalente a R$ 126,7 milhões anual – pagando R$ 1,1 milhão em royalties.

O complexo de Miranga conta com quatro estações de tratamento: Estações A, B, C e D. Recentemente o campo recebeu um investimento de R$ 250 milhões da Petrobras para a implantação de uma tecnologia que foi pioneira na América Latina. Um projeto pioneiro que previu a injeção de 370 toneladas diária de gás carbônico (CO²) nas rochas do reservatório – com a medida a Petrobras esperava aumentar a reserva do campo de 11 milhões para 16 milhões de barris de petróleo.

Redação APO com Expresso Catuense