Câmara não vai julgar caso de vereador que apalpou seios de vizinha

Foto: Maria do Carmo Portela/Arquivo Pessoal
Foto: Maria do Carmo Portela/Arquivo Pessoal

A Câmara Municipal de Epitaciolândia, município distante 230 km de Rio Branco, no Acre, iniciou os trabalhos no dia 15 de fevereiro. O órgão informou que não vai avaliar a conduta do vereador Carlos Portela (PPS-AC), fotografado apalpando o seio da vizinha em janeiro deste ano.

O caso virou polêmico após a imagem do vereador com a vizinha ter circulado nas redes sociais. De acordo com informações do G1, o presidente da Câmara de Vereadores, Marco Ribeiro (PSB-AC) teria afirmado, na época, que o caso seria avaliado pelos parlamentares quando a Casa voltasse do recesso. Ribeiro chegou a dizer ainda que o regimento interno precisaria ser estudado antes de julgar a conduta do Portela.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

No entanto, os trabalhos foram retomados e o presidente entendeu que a análise não pode ser feita sem a formalização de uma denúncia, seja por um cidadão ou por um vereador.

O presidente Câmara também declarou que a casa legislativa não possui um Conselho de Ética e que para realizar a avaliação de conduta seria necessário a criação do conselho.

A publicação explica ainda que, segundo Portela, não houve análise de conduta porque nada comprova que o vereador tenha cometido um crime. “Não existe crime. Na foto, em nenhum momento, aparece que estou apalpando o seio, por isso, que não vão entrar com nada. Com crime cabe analisar a conduta, mas as fotos não mostram que estou pegando ou apalpando”, justifica o vereador.

O caso

Uma imagem que mostra o vereador Carlos Portela (PPS-AC) encostando no seio de uma vizinha gerou polêmica ao ser divulgada nas redes sociais em janeiro deste ano. Portela contou que a foto foi tirada pela própria esposa, Maria do Carmo Portela, na casa dele e que tudo era apenas uma brincadeira, que acabou sendo compartilhada por algum amigo.

Notícias ao Minuto