João Santana vai admitir caixa dois, mas sem relacionar dinheiro com o PT, diz jornal

15122139
Foto: reprodução/Folha

O marqueteiro baiano João Santana vai admitir que recebeu dinheiro de forma irregular no exterior.

Segundo a Folha de S. Paulo, no entanto, ele deve dizer que os valores não tiveram origem nas campanhas políticas nas quais ele trabalhou para o PT. Ele e a mulher, Mônica Moura, foram presos na 23ª fase da Operação Lava Jato sob acusação de receber R$ 7,5 milhões ilegalmente em uma conta na Suíça, sendo US$ 3 milhões pagos pela Odebrecht e US$ 4,5 milhões pelo lobista polonês Zwi Skornicki, que foi preso na última segunda-feira (22).

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

No mandado de prisão, o juiz Sérgio Moro explica que o dinheiro era pago como caixa dois de campanha. Também segundo a Folha de S. Paulo, Santana vai reconhecer à polícia que o montante era fruto de caixa dois, mas vai tentar desviar as suspeitas para outros lugares onde ele também trabalhou com campanha política, como Argentina e El Salvador.

Quando o mandado de prisão temporária foi expedido esta semana, ele estava na República Dominicana, onde estava trabalhando na reeleição do presidente do país. O marqueteiro voltou ao Brasil e se entregou nesta terça-feira (23).  Ele deve prestar depoimento à Polícia Federal nesta quarta.

X