Delcídio prepara discurso para volta ao Senado e deve alegar que foi vítima de ‘armadilha’

IMAGEM_NOTICIA_5O senador Delcídio do Amaral (PT-MS) deixou o batalhão de trânsito da PM no Distrito Federal já pensando no que falará nesta terça-feira (23) ao voltar para o Senado. Segundo a Folha de S. Paulo, a primeira frase que o petista disse ao deixar a carceragem, após passar 87 dias preso, foi: “preciso de paz para elaborar meu discurso”.

Aliados do senador entenderam a fala como uma mensagem para não procura-lo até que Delcídio vá ao plenário do Senado. A intenção seria fazer uma fala emotiva, em que o acusado se coloque como “inocente” e “vítima de uma armadilha”. O senador foi preso por supostamente tentar interferir nas investigações da Operação Lava Jato.

Ex-líder do governo no Senado, ele está recolhido na casa de amigos da família, acompanhado da mulher, da mãe e das duas filhas. Na decisão que permitiu a libertação de Amaral, o ministro do Supremo Tribunal Federal Teori Zavascki determinou que o suspeito pode frequentar o Congresso durante o dia, mas terá que permanecer em prisão domiciliar durante a noite e os fins de semana.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Apesar de ter avisado a parlamentares que pretende retomar as atividades legislativas, como o comando da Comissão de Assuntos Econômicos, o discurso não deve impedir a pressão do PT para que Delcídio deixe o posto. Colegas acreditam que ele não tem mais “autoridade política” para conduzir o grupo e que, apesar de voltar ao trabalho, não deveria assumir postos-chave da legenda.

Agência Senado